Rita Carvalho

Mulheres do Parque – Entrevista a MARIA CRISTINA TACANHO

By | Rita Carvalho | No Comments

“ANDAR DE BICICLETA AJUDA NA MINHA DISPOSIÇÃO”

Rita Carvalho entrevista MARIA CRISTINA TACANHO

Apresentação: Maria Cristina Tacanho, 44 anos, casada, mãe de 2 filhos

Profissão: Técnica Superior na Função Pública.

Hobbies: Andar de bicicleta

Como foi o teu percurso até chegares ao Parque das Nações?

Vivi 32 anos no Lumiar, sou moradora no Parque das Nações há cerca de 11 anos, com excelentes vizinhos.

Por acaso, na entrevista anterior, com a Joana Melo, também se falou dos seus ótimos vizinhos, mas foi uma coincidência [sorrisos] …

Sim, foi uma coincidência, [sorrisos] …também sou uma habitante do Parque que elogia os vizinhos que tem. Existe uma boa relação e interajuda entre nós, pelo que dou muito valor. Como exemplo, foi o meu vizinho do 4o andar (Gonçalo Peres) que influenciou o casal Tacanho a ir de bicicleta para o trabalho, promovendo a pedalada ecológica. Os nossos filhos brincam juntos e reúnem-se nas casas uns dos outros.

E em relação à aventura de ir de bicicleta para o trabalho?

Há cerca de dois anos aderi à bicicleta eléctrica, como meio de transporte para ir trabalhar. Posso dizer que estou a adorar a experiência. Faço ginástica matinal, nunca apanho trânsito e chego, sem stresse, ao trabalho. Não obstante, também utilizo o carro quando chove para ir para o trabalho. Já o meu marido – faça sol, chuva ou vento – vai sempre de bicicleta. Penso que ainda não temos a cultura de ir para o trabalho de bicicleta. Ainda existe o pensamento: chego ao trabalho, cansado e a suar. Bem, com a bicicleta elétrica isso não acontece… também não há muitas ciclovias e as existentes as pessoas passeiam nelas. Adoraria que se fizesse mais ciclovias de acesso à cidade de Lisboa, como, por exemplo, na Avenida Marechal António de Spínola, para que os ciclistas se sentissem mais seguros e, consequentemente, permitiria que houvesse uma maior adesão.

Costumas ir pelas ciclovias?

Apanho duas ciclovias, uma no Areeiro e outra no Saldanha, mas o meu trajecto é 80% feito na estrada.
É por andares muito de bicicleta que, sempre que te vejo, estás bem-disposta [sorrisos]? A boa disposição vem do nosso interior – e o que nos rodeia influencia a nossa disposição. Cabe a nós escolher ambientes agradáveis. Também posso dizer que andar de bicicleta ajuda na minha disposição, consigo libertar alguma tensão de um dia mais difícil.

“Penso que ainda não temos a cultura de ir para o trabalho de bicicleta. Ainda existe o pensamento: chego ao trabalho, cansado e a suar. Bem, com a bicicleta elétrica isso não acontece…”

“Tenho dois filhos vegetarianos e até agora têm-se dado bem. O meu filho mais velho andou na Escola Básica Parque das Nações, onde forneceram esta alimentação durante cinco anos, desde o pré-escolar até ao 4o ano.”

“Aproveitava esta oportunidade, para relembrar aos nossos políticos e entidades oficiais o seguinte: Construção de mais uma escola no Parque das Nações Sul“

Também sei que és vegetariana, há quantos anos?

Sou vegetariana há 10 anos, influência do meu marido que é vegetariano há cerca de 18 anos. Nos dias de hoje já é possível fazer este tipo de alimentação com equilíbrio, mas quando se fala em vegetarianismo, as pessoas pensam logo em saladas, o que não é verdade. Tenho dois filhos vegetarianos e até agora têm-se dado bem. O meu filho mais velho andou na Escola Básica Parque das Nações, onde forneceram esta alimentação durante cinco anos, desde o pré-escolar até ao 4o ano. O meu filho mais novo, com 2 anos, frequenta a creche Cantinho das Alfazemas onde também fornecem comida vegetariana biológica (aproveito para agradecer à fantástica equipa desta creche por mimarem o meu Gui).

Como é que os teus filhos lidam no dia-a-dia com o facto de serem vegetarianos?

Têm curiosidade em experimentar comida não vegetariana? Como lidas com isso? Aqui, a estrela é você! O Gabriel já experimentou carne, peixe e fiambre, nós não proibimos que ele coma comida não vegetariana. Em relação ao Gui, ainda é muito novo mas, claro, vai ter curiosidade como o irmão, e nós vamos explicar porque é que somos vegetarianos.

Tens alguns exemplos de pratos favoritos vegetarianos que comes com a tua família?

Esparguete à bolonhesa, feito com seitan; Tofu à Brás; Empadão de seitan e Hambúrguer vegetariano com batata frita.

E relativamente aqui ao Parque das Nações, há alguma coisa que gostasses de referir?

Aproveitava esta oportunidade, para relembrar aos nossos políticos e entidades oficiais o seguinte: Construção de mais uma escola no Parque das Nações Sul – Neste momento a Escola Básica Parque das Nações apenas leciona até ao 1o ciclo e encontra-se a funcionar para além das suas capacidades. As crianças vão crescendo e necessitamos que o 2o e 3o ciclos possam acolher as mesmas, de forma digna e próxima das suas residências. Somos uma freguesia com bastantes habitantes e as atuais escolas não chegam para abranger todas as crianças.
Velocidades excessivas e passadeiras inseguras – muitos condutores passam com demasiada velo- cidade junto da Escola Básica Parque das Nações, assim como, na Alameda dos Oceanos, cujas passadeiras se revelam inseguras para as pessoas que as utilizam. O tempo de espera dos semáforos da passadeira em frente da loja de móveis Stockdesign, em nada beneficia o atravessamento dos peões. Lembro que desde a abertura do Pingo Doce- zona sul, a referida passadeira tem sido bastante utilizada, tendo vindo a revelar-se pouco prática e bastante perigosa pois os peões atravessam e a visibilidade encontra-se obstruída pelas Por tas do Mar- por tal da Expo 98. Dejetos dos cães – queria deixar uma palavra de encorajamento e incentivo a todos aqueles que passeiam os seus animais no sentido de apanha- rem os seus dejetos. Felizmente, a grande maioria tem tido uma atitude exemplar. Voto para que continuem assim, para o bem-estar de todos e que possam servir de exemplo para aqueles menos cuidadosos.

Voluntariado torna o Parque das Nações mais limpo

By | Rita Carvalho, Sem categoria | No Comments

No passado dia 26 de setembro realizou-se um evento, intitulado “Lisboa Mais Limpa”, no âmbito da iniciativa – Lisboa Capital Europeia doVoluntariado 2015. Esta ação foi promovida pela CML, através da Comissão Organizadora da Capital Europeia doVoluntariado 2015, e pelas Juntas de Freguesia da cidade de Lisboa. Tem como objetivo o envolvimento de toda a comunidade, na eliminação de tags (assinaturas), vulgarmente designados grafittis. Com esta intervenção de voluntariado, pretende-se fomentar o sentimento de pertença e de respeito pelos espaços comuns. Esta iniciativa, a que a Junta de Freguesia Parque das Nações aderiu de imediato, reuniu dezoito voluntários. Lamentavelmente, não pude estar presente devido a compromissos anteriormente assumidos, mas considero esta ação com um grande mérito! Os meus vizinhos, Isabel, Renato e os filhos, Vicente e Constança, estiveram presentes no grupo da zona sul, e serão eles a descrever a experiência deste evento:

 

“A manhã acabou num ápice e ficou a sensação de que muito ainda há por fazer. Já decidimos que na próxima ação “Lisboa Limpa” vamos incentivar os nossos amigos e vizinhos a participarem.”

“Foi com enorme entusiasmo que aceitámos o desafio que nos foi lançado de contribuirmos com algum do nosso tempo para melhorar o espaço onde vivemos. Ainda antes de aceitar, partilhei lá em casa a ideia de podermos passar a manhã de sábado a limpar alguns dos locais por onde passamos diariamente e que não gostamos de ver a deteriorar. A sugestão foi muito bem acolhida e, assim, no sábado, pelas 9 horas, lá estávamos à porta da Junta de Freguesia do Parque das Nações. Não éramos muitos, mas estávamos muito determinados. Vestimos a camisola (que era um pouco grande para o Vicente e ainda maior para a Constança), colocámos as luvas e iniciámos a ação no Parque Infantil junto à Marina do Parque das Nações. Este é um local que nos diz muito e onde o Vicente e a Constança sempre gostaram de brincar. Assim, foi com enorme carinho que demos o nosso melhor para devolver algumas das suas cores a um espaço mágico para tantos meninos. Seguiu-se a limpeza de uma paragem de autocarro, de vários bancos de jardim, da Girafa que está junto ao edifício da Sport TV, da Torre Galp e, por fim, do Gil que se encontra junto ao Pavilhão do Conhecimento. A manhã acabou num ápice e ficou a sensação de que muito ainda há por fazer. Já decidimos que, na próxima ação “Lisboa Limpa”, vamos incentivar os nossos amigos e vizinhos a participarem. Todos queremos que o ambiente que nos rodeia seja o melhor, mas também está nas nossas mãos contribuir ativamente para que tal aconteça!”

 

Ficha Técnica

Director: Miguel Ferro Meneses

Redacção: Ana Penim; André Ribeirinho; Carmo Miranda Machado; Conceição Xavier; Diogo Freire de Andrade; Miguel Soares; Paulo Andrade; João Bernardino; João Catalão; José Teles Baltazar; Pedro Gaspar; Rita de Carvalho; Sara Andrade; Sónia Ferreira

Fotografia: Miguel Ferro Meneses

Direcção Comercial: Bruno Oliveira (Directo - 966 556 342)

Revisora: Maria de Lurdes Meneses

Produção: Central Park

Impressão: GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA

Tiragem: 13.500 Exemplares

Proprietário: Central Park Sede Social: Passeio do Levante - Lote 4 - Torre Sul 1990 -503 LISBOA

Nr. de Registo ICS: 123 919

Depósito Legal: nº. 190972/03

Email: geral@noticiasdoparque.com