Projecto ‘Urban Walks’ começou

Ninguém parece ter dúvidas de que o Parque das Nações tenha sobrevivido à Expo 98. A sua  transformação de uma área degradada industrial para um lugar com interesse residencial e recreativo, através de uma feira universal, é sem dúvida uma história de sucesso.
No entanto, este sucesso é frequentemente apresentado em termos de números: 1.979 milhões de m2 de habitação residencial, 610 milhões de m2 de escritório, 170 milhões de m2 de comércio e 300 milhões de m2 em outras funções, como também 22 mil residentes, 22,5 mil trabalhadores e 18 milhões de visitantes por ano (Park Expo, 2008). Todavia, estes números baseados apenas em resultados económicos não constituem nem uma boa medida do seu sucesso, nem nos mostram como este bairro é vivido.  Estes números não nos dizem nada sobre a vida quotidiana das pessoas que o habitam, visitam ou nele trabalham, nem sobre a forma como apropriam, mudam e contestam as convenções impostas pelos urbanistas ou arquitectos que o conceberam.
É precisamente este interesse que me levou a estudar este bairro e propor integrá-lo como caso de estudo num outro projecto de maior amplitude sobre a “Vida Pública dos Novos Espaços Públicos contemporâneos” na University College London. Este projecto consiste num estudo comparativo sobre a qualidade do desenho urbano dos espaços públicos na Europa que tem como objectivo principal explorar as questões mais emergentes, tanto sociais como espaciais, que caracterizam a nossa vida pública e os novos espaços públicos no século XXI. Portanto, como parte deste projecto, estou a organizar, durante todo o mês de Abril, várias caminhadas no Parque das Nações com a duração de uma hora no máximo. E como tal, estou à procura de participantes – tanto residentes, como trabalhadores e até visitantes – para que me falem das suas experiências e expectativas do desenho urbano dos espaços públicos.
No mês anterior tive a oportunidade de publicar um artigo sobre este projecto, pelo que tenho recebido vários emails de pessoas interessadas em participar, no entanto, quero repetir que é importante a vossa participação, especialmente de quem se interessa pela qualidade dos espaços urbanos de Lisboa ou apenas pelo Parque das Nações. Este é um projecto de interesse público que visa melhorar as práticas de urbanismo, mas, para tal, necessita que mais pessoas nos falem da forma como vivem os espaços públicos da nossa cidade de Lisboa.
Para participar ou para mais informações, por favor contactar Patrícia Simões Aelbrecht para o seguinte email:
p.simoes@ucl.ac.uk.

 

 

Leave a Reply

Ficha Técnica

Director: Miguel Ferro Meneses

Redacção: Ana Penim; André Ribeirinho; Carmo Miranda Machado; Conceição Xavier; Diogo Freire de Andrade; Miguel Soares; Paulo Andrade; João Bernardino; João Catalão; José Teles Baltazar; Pedro Gaspar; Rita de Carvalho; Sara Andrade; Sónia Ferreira

Fotografia: Miguel Ferro Meneses

Direcção Comercial: Bruno Oliveira (Directo - 966 556 342)

Revisora: Maria de Lurdes Meneses

Produção: Central Park

Impressão: GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA

Tiragem: 13.500 Exemplares

Proprietário: Central Park Sede Social: Passeio do Levante - Lote 4 - Torre Sul 1990 -503 LISBOA

Nr. de Registo ICS: 123 919

Depósito Legal: nº. 190972/03

Email: geral@noticiasdoparque.com